Dicas Para Cuidar Da Memória

slider03A perda de memória é queixa comum em consultórios de  clínica médica, particularmente nas especialidades de geriatria  e neurologia. Apesar do aumento de doenças  neurodegenerativas com o avanço do envelhecimento, dentre  elas, as demências, a perda de memória pode estar  relacionada a situações não patológicas da vida cotidiana, a  doenças neurológicas, problemas psicológicos, distúrbios  metabólicos e ao uso de determinadas medicações.

O estresse, a ansiedade e a depressão podem prejudicar a memória. Hipotiroidismo, é doença metabólica comum que  está associada à perda de memória, assim como o alcoolismo.

O uso de medicações ansiolíticas ou tranquilizantes a  longo prazo já tem comprovação científica que também  causam redução da memória.

Estimular a memória pode parecer tarefa difícil, em um  primeiro momento, principalmente levando em consideração o  estilo de vida da maioria das pessoas da vida moderna, mas  medidas simples devem proporcionar a melhora dessa queixa.

Aprender novas habilidades, praticar atividade física  regular e cultivar uma vida social, ocupacional e familiar  saudáveis são formas positivas de combater a perda de  memória do dia-a-dia.

Concentrar-se em apenas uma atividade de cada vez  ajuda a evitar a distração, uma vez que, a atençao dividida  para mais de uma atividade ao mesmo tempo poderá gerar  pequenos esquecimentos.

Tratar a insônia e promover controle do estresse e  ansiedade também devem reduzir o problema. A ingestão de  uma dieta balanceada, rica em frutas, vegetais, peixes,  castanhas, nozes, fontes importantes de antioxidantes,  também parece ter um efeito positivo.

Infelizmente não existem medicamentos específicos para  o tratamento da perda de memória.

Não se deve esquecer de fazer uma avaliação clínica  global, através de um interrogatório médico específico e  exames complementares, na busca de diagnóstico de doenças  potencialmente causadoras desse mal.