A Importância da Geriatria

A Importância da GeriatriaA avaliação geriátrica é um processo diagnóstico de múltiplas dimensões que deve envolver o idoso, a família e o meio ambiente onde esse individuo vive. Na avaliação do idoso busca-se quantificar o grau de comprometimento funcional global (diagnóstico funcional) e identificar a presença de potenciais disfunções nos sistemas fisiológicos principais (diagnóstico etiológico ou doenças). A dimensão familiar (suporte familiar) e social (suporte familiar) do idoso são também fundamentais e devem ser avaliadas rotineiramente.

Esta avaliação multidimensional é indispensável para o planejamento de um plano de cuidados, cujo objetivo principal é a preservação ou recuperação da autonomia e independência do idoso. Este plano de cuidados é composto por ações de promoção e prevenção de doenças (primária e secundária), ações curativas, de reabilitação e paliativas, conforme a necessidade.

Desta forma, a abordagem em geriatria difere da abordagem padrão ao incluir domínios não médicos, enfatizar a habilidade funcional e a qualidade de vida e, na maioria das vezes, envolver uma equipe multiprofissional (fisioterapia, serviço social, fonoaudiologia, enfermagem, terapia ocupacional, nutrição, psicologia, dentre outras).

A avaliação e a intervenção geriátrica resgatam a integralidade e a multi-disciplinaridade na atenção à saúde e não se restringem à cura e sim, à otimização do funcionamento global e ao conforto do paciente, que podem ser modificados substancialmente. Esses sao os aspectos que fazem da geriatria uma especialidade ampla e única.

No idoso, o foco da atenção desloca-se da intervenção aguda e doença-específica, para o cuidado de longo-prazo, que deve ser contínuo. Embora o diagnóstico das doenças continue a ser crucial, a avaliação do seu funcionamento global torna-se igualmente importante. Mesmo que o idoso tenha múltiplas doenças e problemas inter-relacionados, sua habilidade em manter-se independente e autônomo não é necessariamente um reflexo das suas doenças. Daí a necessidade do estabelecimento de prioridades na implementação do PLANO DE CUIDADOS, visando a longevidade e, principalmente, a funcionalidade global do idoso.

O excesso de especialistas, a busca exagerada por “consensos”, o “paradigma hospitalocêntrico” do cuidado e o ímpeto pela prescrição de tratamentos fúteis associados a maior vulnerabilidade do idoso são os princípios básicos da maior das síndromes geriátricas, a iatrogenia. Essa sabidamente combatida pelos geriatras.

Dessa forma, a individualização dos cuidados é fundamental. As particularidades do individuo da terceira idade deverão ser entendidas e respeitadas, de maneira que cada pessoa é única e regras gerais nao devem ser tomadas como universais. Esse é o pilar mandatório nessa especialidade.

Informações Adicionais:
Referência(s): Moraes EM. Avaliação Multidimensional do Idoso. In: Princípios de Geriatria e Gerontologia. Belo Horizonte: Coopermed; 2008.